quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Desculpa a demora, de novo, pessoal, mas estou preparando coisas novas e fiquei meio sem tempo de atualizar né.

Logo mais eu volto :p

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Já era pra ter postado isso bem antes, mas a minha preguiça não deixou. Aliás, eu achei que não conseguiria postar, mas me enganei. Foi graças à um telefonema que recebi no começo do mês que eu consegui limpar a minha mente empoeirada. Fiquei pensando no fim da vida. Ou melhor, na vida, em si. Fiquei pensando, se o mundo acabasse amanhã, eu iria feliz? Estaria satisfeita do que fiz? Será que tudo valeu a pena? E o que mais preciso fazer hoje, pra lembrar amanhã?

Ultimamente, parece que a questão "vida e morte" tem me perseguido. Filmes sobre o assunto, mãe falando pra aproveitar a adolescência, pessoas queridas que se foram,... Será que é só impressão minha ou isso realmente está acontecendo? Ou será que estou ficando paranóica?

Bom, de qualquer forma, estou aproveitando melhor cada segundo dos meus dias. Então CARPE DIEM para todos!

sábado, 17 de julho de 2010

Pegando fogo (Parte III)

Queridos leitores, quero pedir desculpas pela falta de atualizção no blog. Eu estava viajando e fiquei sem net, impossibilitada de postar. E, também, peço desculpas pelo Pegando Fogo.

Bom, a terceira parte da pequena história não será postada aqui pois o conteúdo tá beeeeem cheio de "fortes emoções", se é que vocês me entendem. Porém, quem quiser ler, pode receber no próprio e-mail.

É só preencher este formulário que eu enviarei a terceira e última parte pra você.

Até a próxima, beijinhos!
Bru

terça-feira, 29 de junho de 2010

No way (Parte I)

- Terra chamando Flavinho. Alô? Oiiiii! Onde sua mente tá viajando, amigo? - perguntei.

Nunca vi o Flavio tão aéreo. Parecia que tinha perdido alguém, ou tivesse um problema dos tipos que para o país.

- Desculpa, linda, tava pensando na menina que eu gosto. - ele respondeu.
- De novo?
- Sim, de novo. Eu a amo. Só queria saber porque ela está com ele, não comigo?!

Ah! Agora tá explicado. Ele estava pensando na sua amada.

- A gente passa o dia inteiro juntos, ela fica abraçada em mim e, no fim, ela volta pra ele. Não entendo - Flávio se abre - por quê. Mulher é um bicho tão complexo, meu Senhor! Ela não podia simplesmente ficar só com o cara, ou largá-lo e ficar comigo?! Por quê ela fica com esse joguinho? Não atende os telefonemas do cara, passa a tarde inteira, todos os dias, na minha casa,...

Ué, quem é essa menina? Nunca a vi. Isso porque todo santo dia estou na casa dele! Será que ele...? NO WAY! Não acredito que ele está falando ...

- Queria que ela se tocasse o quanto me importo com ela e, se ela não quer nada comigo, pra parar de ficar brincando com meus sentimentos!
-Flavinho, de quem você está falando?
- De você, Tainara. E você sabe, não se faça de boba!

Não, não estou me fazendo de boba. Eu só fiquei surpresa com a clareza que ele disse pra mim. Eu também gosto do Flávio, mas minha família quer que eu me case com o Renan. E pra piorar, minha família não gosta do Flavinho por ele ser classe média. O que eu faaaaaaaço?!


Continua...

domingo, 27 de junho de 2010

But if you never try, you'll never know!

Fix You - Coldplay


"Nem vou mais pra academia porque sei que vou sempre ser gorda desse jeito. Nunca termino o que começo, sempre desisto de tudo, também não vou mais começar nada. E estudar pra quê? Sei que vou tirar nota baixa mesmo, que não vou ser ninguém na vida."

Tudo isso é pensamento negativo ou é falta de confiança em si mesmo? Ou é pura preguiça? Afinal, se você nunca tentar, você nunca saberá!

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Simples?

Hoje eu saí pra almoçar com a Ana*, uma amiga de infância. Cheguei no restaurante, sentei na mesa e esperei 10 minutos, até que ela chegou. Sua expressão não era das melhores. Ela me contou que havia tido uma pequena discussão com o namorado e que, apesar de não ter sido nada muito grave, ela se sentia muito culpada. Não perguntei nada, afinal, são coisas pessoais de um casal. O garçom chegou, eu fiz meu pedido. Ana também pediu, e pediu, e pediu. Pensei: "Nossa, ela não vai aguentar comer tudo isso!" E eu me enganei. Ela comeu tudo. Descontou o sofrimento e a raiva na comida. Fiquei olhando minha amiga, assustada. Como ela conseguiu?! Ela, com toda delicadeza, pediu licença e foi até o toillet. Falei que iria junto, e ela resistiu. "Aninha, preciso ir no banheiro, também. Estou super apertada." Ela resmungou, continuou andando e entrou em um dos boxes do banheiro. Ouvi um barulho incomum, como se alguém estivesse passando mau. E o som vinha do box de Ana. Após ouvir a descarga, Ana saiu tranquilamente do box e fez um gargarejo com a água da torneira.

- O que foi? Parece que viu um fantasma. - disse, Ana.
- Você tava passando mau, amiga? - perguntei, preocupada.
- Não, boba. Eu vomitei porque comi de mais, só isso.

Arregalei meus olhos, em espanto. Ana percebeu minha expressão e completou:

- Estou acostumada com isso, não se preocupe. Já tentei parar, mas não consigo. Toda vez que me sinto pra baixo, fico magoada ou culpada, eu como exageradamente. Depois, me sinto culpada por ter comido tanto, e boto tudo pra fora. Simples assim.

Simples?

* Nome fictício.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Pegando fogo (Parte II)

Ela já estava tão aquecida com o calor dele que não queria mais ficar ali. "Vamos pra um lugar mais reservado, minha casa ou sua casa, não sei...", disse a garota, tomando a iniciativa que nunca tivera antes, enquanto o rapaz ficou petrificado, sem reação. "Vamos logo, ou você quer dar um show pros vizinhos?!", completou. Eles foram até o centro da praça, onde havia um pequeno auditório. Ficaram do lado de fora do mesmo, encostados numa parede. O rapaz a encostou na parede com delicadeza, subiu os lábios pelo pescoço da garota e parou na pequena boca entreaberta dela. Enquanto os dois se beijavam, seus corpos iam se atraíndo cada vez mais, e mais, e mais. Ela estava com as mãos na nuca dele, como antes, mas sua perna agora não estava no chão. Ela erguera sua perna direita na cintura do rapaz, deixando-o preso. Ele segurou a perna da menina, passando a mão pela coxa e, sutilmente, deslizou até...

Posso até te perder

Bem que dizem que a gente sempre é pego de surpresa! Por mais que a gente se prepare anos ou até minutos antes, sempre acontece algo inesperado. Foi algo parecido quando conheci a M. Nem sequer passava pela minha cabeça de conversar com ela na escola, afinal ela estudava em outro período, muito menos pensava que ela, um dia, seria minha amiga. E não uma simples amiga, que fofoca e vai pra baladas. É o tipo de amiga que te larga na mão sempre que pode, aquelas que te magoam às vezes, aquelas que vivem te irritando no msn. É o tipo de amiga que, apesar de todas essas chatisses, você a chama de melhor amiga. E, sabe, posso até te perder um dia, mas nunca, nunca vou esquecer dos nossos momentos. Obrigada, M.

terça-feira, 22 de junho de 2010

"Estou amando, só"

Eu a vi chorando. Me aproximei para saber o que havia com aquela pequena garota. "Christina", eu chamei, "o que você tem?". Ela levantou seu rosto e seu olhar foi imediatamente direcionado ao meu. Apesar de suas pálpebras inchadas e sua maquiagem borrada, ela tinha estampado, no rosto, um enorme sorriso. Um sorriso lindo, como eu nunca tinha visto. Ela enxugou seus olhos e, ainda soluçando, me pediu para sentar a seu lado. E eu o fiz. Christina pegou uma de suas delicadas mãos e colocou na minha coxa, virou seu corpo pra mim e me olhou nos olhos com tanta sinceridade que eu pude sentir que ela confiava em mim. "Você deve estar pensando que eu sou uma anormal, chorando e sorrindo ao mesmo tempo", ela disse. Eu balancei minha cabeça em sinal negativo, e ela continuou: "Bom, é que eu passei por tantas coisas na minha vida, tentei ser forte, auto-suficiente, egocêntrica e orgulhosa pra não sofrer, pra não depender dos outros pra garantir minha felicidade. Eu não consegui. Fui fraca, deixei os outros pisarem em mim. Também...EU só dava valor pra coisas fúteis. Popularidade, dinheiro, poder. Ai ai. Como fui tola. E agora, nem sei mais os significados dessas palavras. Por quê? Porque conheci algo incrível e muito melhor. Algo chamado AMOR!" Na hora, tentei não chorar, mas era quase impossível. As palavras de Christina tocaram meus sentimentos. E eu deixei que ela continuasse a me contar. "Estou amando, só. Meu choro é de alegria, de felicidade. Estou amando e, eu sei, sou amada. Não há nada melhor que isso!" Bastou. Nos abraçamos e minhas lágrimas, que dos olhos já haviam fugido, desceram por meu rosto e caíram nos ombros da pequena Christina...

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Pegando fogo (Parte I)

Sentados no banco da praça, um do lado do outro, de mãos dadas. Eles se entreolharam, com um rápio movimento. E aquele era o olhar. O olhar dele que dizia "Acho que chegou a hora!", e o olhar dela que dizia "Será que devo?". Mas, como qualquer adolescente com seus hormônios à flor da pele, eles não resistiram. A garota colocou suas mãos delicadas na nuca do rapaz, puxando o rosto dele para mais perto do seu, sentindo, finalmente, aqueles lábio carnudos e macios. O rapaz, aos poucos, deslizou as mãos pelas costas da garota, e parou-as na cintura, trazendo o pequeno corpo feminino para perto de seu corpo másculo. E eles ficaram lá, por um bom tempo. Para quem viu toda a cena, foi bastante tempo, com muito fogo adolescente. Mas para os dois, foi um momento único, o primeiro de muitos que eles ainda teriam...

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Sogra amiga?

O significado de sogra, no dicionário, é a seguinte: "Mãe de um dos cônjuges em relação ao outro." Mas muitas pessoas usam a palavra "sogra" no sentido pejorativo, comparando-a com monstros, cobras, demônios e etc. Já eu vejo minha sogra de um jeito bem diferente. Pra mim, sogra significa amiga. Porque é assim que eu vejo minha sogra: como uma amiga. E até que ela é beeeeem gata ... KKKKKKK

Queria que voltasse.

Hurt - Christina Aguilera



Sabe quando você perde uma pessoa amada e, mesmo assim, sente a presença dela? E, apesar de saber que ela não vai te responder, você continua a chamá-la...

Hoje, mais do que nunca, me bateu uma saudade do L. Bem que dizem que a gente dá valor quando perde! Queria ter aproveitado mais ao lado dele. Eu deveria ter aproveitado mais: as risadas, os choros, as músicas, os abraços, as broncas... Ele sempre Estava comigos, independente de estar perto ou não. E ele me ensinou que é melhor ter poucos amigos verdadeiros do que muitos colegas falsos! Me sinto tão sozinha, ultimamente (com excessão do meu namorido lindo <3). Queria tanto que você voltasse, Lew. Queria tanto que tudo voltasse como era...

quarta-feira, 16 de junho de 2010

É ele quem eu amo!

E quanto às lágrimas, derramarei o quanto eu quiser. Porque por ele eu sei que vale a pena gastar milhares de lenços de papel, ficar com o rosto desconfigurado, falar soluçando e tudo mais. É ele quem eu amo...

Desculpa. Obrigada. Te amo.

Sabe, às vezes me acho uma completa idiota com o meu jeito de ser, com meu comportamento egoísta, infantil e mesquinho. Faço coisas sem perceber e, depois de feito, me arrependo. O pior de tudo não é que eu fico magoada, mas é que eu deixo outras pessoas magoadas. Outras, não. Outro alguém, no masculino e singular. E é a pessoa que mais amo né. Tudo que eu quero é vê-lo feliz, sorridente, sempre carinhoso do jeito que ele é. E a cabeçuda aqui estraga os momentos...

Mas é o meu jeito de ser. Eu o amo, apesar desse meu jeito. Posso parecer estar longe, posso parecer não sentir nada; mas no fundo do meu corpo frio, há um coração quente que bate. E que bate apenas por você.

Desculpa. Obrigada. Te amo.