terça-feira, 22 de junho de 2010

"Estou amando, só"

Eu a vi chorando. Me aproximei para saber o que havia com aquela pequena garota. "Christina", eu chamei, "o que você tem?". Ela levantou seu rosto e seu olhar foi imediatamente direcionado ao meu. Apesar de suas pálpebras inchadas e sua maquiagem borrada, ela tinha estampado, no rosto, um enorme sorriso. Um sorriso lindo, como eu nunca tinha visto. Ela enxugou seus olhos e, ainda soluçando, me pediu para sentar a seu lado. E eu o fiz. Christina pegou uma de suas delicadas mãos e colocou na minha coxa, virou seu corpo pra mim e me olhou nos olhos com tanta sinceridade que eu pude sentir que ela confiava em mim. "Você deve estar pensando que eu sou uma anormal, chorando e sorrindo ao mesmo tempo", ela disse. Eu balancei minha cabeça em sinal negativo, e ela continuou: "Bom, é que eu passei por tantas coisas na minha vida, tentei ser forte, auto-suficiente, egocêntrica e orgulhosa pra não sofrer, pra não depender dos outros pra garantir minha felicidade. Eu não consegui. Fui fraca, deixei os outros pisarem em mim. Também...EU só dava valor pra coisas fúteis. Popularidade, dinheiro, poder. Ai ai. Como fui tola. E agora, nem sei mais os significados dessas palavras. Por quê? Porque conheci algo incrível e muito melhor. Algo chamado AMOR!" Na hora, tentei não chorar, mas era quase impossível. As palavras de Christina tocaram meus sentimentos. E eu deixei que ela continuasse a me contar. "Estou amando, só. Meu choro é de alegria, de felicidade. Estou amando e, eu sei, sou amada. Não há nada melhor que isso!" Bastou. Nos abraçamos e minhas lágrimas, que dos olhos já haviam fugido, desceram por meu rosto e caíram nos ombros da pequena Christina...

Nenhum comentário:

Postar um comentário